Engenheiros e Arquitetos ameaçam sair de Betim após aumento de taxa tributária

Semana passada o Portal do Terê divulgou uma matéria que foi publicada no jornal impresso “Vale do Paraopeba”, que noticiou o aumento das taxas tributárias de Betim que estão cada vez mais altas. Em matéria recém-veiculada ao jornal “Viver Bem”, o arquiteto Ricardo Cunha, questiona a prefeitura pelo aumento de impostos e relatou ameaça da Aciabe – Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e de Serviços de Betim contra a atual gestão, em fala de seu diretor, Wenceslau Moura que afirmou que “Se a lei se mantiver nesses termos, esta terá sido a última reunião do setor na cidade”… Vamos todos embora! O último a sair, apague a luz e deixe a Prefeitura contando com o dinheiro que as construtoras da cidade não têm”.

A reunião, que aconteceu dia 22 de setembro, discutiu o aumento da taxa tributária, principalmente no setor de Construção Civil, agora com imposto de 3,5%. “A ordem é taxar bens imóveis, ainda que em detrimento de setores produtivos as voltas com longas crises […] ou de mercados em franco declínio, como o mercado imobiliário local”.

Ainda segundo Ricardo Cunha, existe o pensamento que os planos de obras e prédios públicos a serem construídos em todas as regiões do município estão com a indicação que serão pagos com “recursos vindos de grandes empreendimentos imobiliários”, por isso, a ameaça de Moura.

Segundo Wenceslau Moura, também diretor da Hewa Engenharia, tal cobrança: “permitirá, na prática, que a Prefeitura arrecade o equivalente a um apartamento a cada 40 apartamentos lançados para venda!”. Ainda segundo Moura, a cadeia produtiva da Construção Civil perderá competitividade.

Estamos de olho.