2018 vai começar com perspectivas de melhoras em Betim

Se 2017 foi um ano bem difícil para economia da cidade, 2018 promete ser um ano com perspectiva de melhora. Com a vinda de novas industrias, como a Prodoeste Pneus, que inaugurou sua sede na cidade em setembro; o novo centro de distribuição da Walmart, inaugurado em junho; a inauguração da Unidade Operativa da Coca-Cola em julho deste ano e a construção da Via das Industrias; a esperança é que a renda da cidade aumente e atraia novas empresas.

Entretanto, a atual administração alega que a cidade não tem dinheiro para suprir suas demandas.  A gestão para o próximo ano só poderá pagar as contas e não há espaço para crescimento.

Segundo projeto enviado para a Câmara, as receitas e despesas deverão somar R$ 1,9 bilhão, desses, 47,5% serão investidos em saúde e educação. Na área da saúde serão gastos R$ 511 milhões no ano que vem, desses, cerca de R$ 330,7 milhões virão de recursos próprios. Na educação serão gastos 401,1 milhões para o próximo ano.

Mesmo sem reajustes, a folha dos servidores de Betim cresce 4,5% ao ano com os biênios e quinquênios. Em 2018 só com folha de pagamento estão previstos R$ 909 milhões.