Programação online ameaça o futuro da TV?

Especialistas vem discutindo Sobre o futuro da televisão, os estudiosos temem a substituição da telinha pelas transições online, seria o fim da TV?  O mundo todo assiste a mais de 1 bilhão de horas de vídeo todos os dias no YouTube, segundo o Google. É como se todos os 7,5 bilhões de habitantes da Terra tivessem uma cota diária de oito minutos de vídeos no serviço. Se a estatística considerar só os conectados – cerca de 3,4 bilhões de pessoas, segundo a União Internacional de Telecomunicações -, essa taxa salta para 17 minutos de vídeo por dia.

Além de se “gratuito” a programação online, faz com que o consumidor seja o seu próprio programador, onde ele pode optar em assistir o que, e quando quiser, filtrando o que o agrada ou não. A Tv nos dias atuais perde nesse requisito, onde o controle remoto que apenas pula de canal, não emite esse poder de escolha, já que a programação do dia já está estipulada em grade. Mas será então o fim da televisão?

A verdade é que qualquer veículo midiático, sempre sofreu ameaças de novos meios, assim como o jornal temeu ao rádio nos anos 30 e o rádio a Tv nos anos 50, o que importa é que esses veículos sempre se renovam e se agrupam, Um grande exemplo é o que alguns canais de Tv aberta como a Rede Globo vem fazendo, como disponibilizar cenas extras de novelas na página online, detalhes do elenco por exemplo, Assim aumentam a interatividade do público e acabam se aderindo a novos meios de mídia. Portanto a nossa velha e querida Tv não deixará de existir.

Curta essa Matéria