Metrô, educação e saúde aderem à greve contra previdência.

Você que utiliza o metro para trabalhar ou estudar, amanhã você terá que mudar sua rotina. Em protesto contra a reforma da previdência, metroviários irão paralisar suas atividades por 24 horas, portanto o metro de Belo Horizonte não funcionará amanhã (15), a ação afetará cerca de 230 mil usuários que utilizam os serviços metroviários diariamente.

A Central Sindical informou que um balanço detalhado será divulgado na tarde desta terça-feira (14) em coletiva na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). “A categoria decidiu aderir ao movimento por não concordar com a retirada de direitos dos trabalhadores e por entender que todos nós iremos ser vítimas desse projeto se o texto for aprovado como está”, explica o presidente do Sindicato dos Metroviários de Minas Gerais (Sindimetro), Romeu José Machado Neto.

Além dos metroviários também entrarão em greve amanhã (15), os professores do município, bancários, metalúrgicos, funcionários dos correios e profissionais da saúde. Cerca de 1 milhão de funcionários irão aderir ao movimento segundo a Central Única dos Trabalhadores.

Curta essa Matéria